Nada de novo. Denovo. (Trabalho de Constitucional).

Posted in marcoalvim on 27/03/2014 by marcoalvim

As leis são sempre úteis aos que possuem e nocivas aos que nada têm.” Jean-Jacques Rousseau.
Nada de novo ao afirmar que grandes corporações detêm mais poder em vários países que o próprio governo. Com legislações criadas para favorecê-las e grande parte com isenção de impostos, nota-se o crescimento dessas corporações muitas vezes em detrimento da própria população pagadora de impostos massivos.
O que muitos não sabem é que por trás de fachadas e de negócios entre governos e corporações há incomensuráveis formas de lesar o erário e por ricochete o próprio povo, grande bancador desses negócios muitas vezes escusos. Muitas vezes escusos, porque, nem sempre se escondem para lesar o povo, por vezes o fazem sob a luz da Constituição Federal e com consentimento da mesma.
Exemplo disso é que no texto originário da Constituição Federal Brasileira, de cinco de outubro de mil novecentos e oitenta e oito, mais especificamente no Art. 192, havia a previsão de uma taxa de juros anual que não ultrapassasse doze por cento. Esse dispositivo nunca foi efetivado porque, o (STF) Supremo Tribunal Federal, barrou-o, alegando a necessidade de uma lei especificando o que seria juros reais.
É indubitável que a população preferiria uma taxa anual de seis por cento, ao invés de doze por cento ao mês, como hoje se pode notar. Fica claro que o STF fez o papel de algoz do povo em nome de banqueiros, corporações, financeiras etc.
Com esse exemplo fica nítido que os “fatores reais de poder” interferem dentro da realidade dinâmica constitucional. Com legisladores banqueiros, donos de meios de comunicações, detentores de poderes, ficam ainda mais difíceis mudanças que coloque a Constituição em seu devido lugar na pirâmide de Hans Kelsen.
Fica fácil afirmar que “deputado palhaço” é o menor dos problemas no legislativo. Enquanto, os meios de comunicação bombardeiam a população com a notícia de dois mil reais de verba de selos indevidamente usadas por tal deputado, empresas, legisladores, particulares e lobistas levam milhões pelos ralos insaciáveis da corrupção, nos metrôs, estradas, mensalões da oposição e da situação, verbas indenizatórias etc.
Todo o ano vê-se na TV, recorde de arrecadação de tributos, cofres públicos abarrotados de dinheiro, chegou à trilhão de reais em dois mil e treze. Porém, as mazelas mais simples, como a fome, educação extremamente precária, saúde sucateada, estradas em péssimas condições continua como antes, na época das “vacas magras” a desculpa era dinheiro, hoje com os recursos financeiros abundantes e com as implementações da moda, as Políticas Públicas Privas (PPP), está tudo mais fácil e ainda sim, quase nada sai do papel.
Se ainda há dúvida que nossa Constituição sofre emendas e promulgações a favor dos “fatores reais de poder” e que o povo tem uma Constituição cheia de brechas, fica aqui uma informação. A Constituição americana de mil setecentos e oitenta e sete sofreu desde sua criação em seus duzentos e vinte sete anos, vinte e sete emendas, enquanto a Constituição brasileira de mil novecentos e oitenta e oito, com seus vinte e sete anos sofreu setenta e nove emendas, acumulando no total, duzentos e cinquenta artigos contra a enxutíssima constituição americana com seus sete artigos. Cornélio Tácito, historiador, orador e político romano que viveu do ano de 55 a 120 disse que “As leis abundam nos Estados mais corruptos”.
Nada de novo ao afirmar que corporações, empreiteiras, legisladores e outros milhares, vivem da corrupção, nada de novo ao afirmar que nossa legislação é falha, nada de novo ao afirmar que as penas para os pobres e para os detentores de poder na prática são sim diferentes, nada de novo ao afirmar que o povo brasileiro não sabe escolher seus representantes e que não sabe lutar pelos seus direitos.

:: Iluminado / Vander Lee ::

Posted in Sem categoria with tags on 19/04/2013 by marcoalvim

:: Iluminado / Vander Lee ::

Linda canção! Bate uma melancolia estranha… Ufa!

 

:: A culpa não é só minha! ::

Posted in marcoalvim on 17/04/2013 by marcoalvim

Image

É muito estranho quando me lembro da escola.

Sofri muito com a vontade de estudar, entender e acompanhar meus colegas de classe, porém, nunca tive sucesso, eu tentava juro que tentava! Então, como forma de me blindar de críticas e de julgamentos, fingia que tudo aquilo acontecia por malandragem como se eu tivesse escolhido ser “descolado”. Mais na verdade, eu sempre fui frustrado por não ter capacidade de aprender matemática, química e biologia. Sempre me achando muito burro sonhava com notas boas, com passar no terceiro bimestre e a realidade sempre era diferente.

Hoje consigo enxergar a causa de tudo isso e até parei de me culpar.

Professores mal remunerados se transformam em professores, sem criatividade, despreparados, descompromissados. É sabido que tem professores que mesmo bem remunerados se encaixariam no perfil acima, mas tudo bem.

Ambiente escolar sujo, salas feias, carteiras depredadas, indivíduos na grande maioria jovens sem um pingo de educação, quando digo educação é aquela que é obrigação da família dar e não da escola, respeito então, nota zero!

Será que a culpa por eu não gostar de ir à escola e de estudar era só minha?

Vamos lá, matérias como História, Geografia, ou seja, humanas, que requeriam de mim e só de mim compreensão do eu lia eu sempre fui muito bem. Ler, interpretar eu conseguia mais o que eu precisava de auxílio para entender não dava. Será que a culpa era só minha?

Passei por isso sem poder contar muito com meus pais, pois eles se encarregavam de colocar comida à mesa, de nos vestir etc.

Assim vejo a necessidade de estar sempre acompanhando a vida escolar de meus filhos e me encarrego de salvaguardá-los para que eles tenham um bom acompanhamento tanto na escola quanto em casa e que não sofram com o adiamento de suas vidas, resultado da evasão escolar, como eu sofri vindo a me encontrar profissionalmente tarde.

Não quero generalizar, mais sei de uma coisa, o governo finge que paga os professores, eles fingem que transmitem o conhecimento, os alunos fingem que aprendem, novamente os professores fingem que eles têm capacidade para passar de ano e os passam, fingimos que vivemos numa democracia, fingimos que votamos, eles se elegem fingindo que foi por nossos votos, novamente eles fingem que pagam os professores… E estamos num ciclo vicioso.

E eu me culpando por não conseguir aprender matemática. Ainda bem que encontrei uma de minhas inteligências múltiplas, amo ler e escrever. Sei que não faço isso com excelência, mais também nem pretendo isso. Não escrevo bem porque quero ser “descolado”.

:: Nossas Vans ::

Posted in marcoalvim with tags , , , , on 17/04/2013 by marcoalvim

Image

Ontem dia 16/04/2013, ao aguardar o Marco Túlio na porta da escola, resolvi fazer o papel da SETTRANS e saí dando uma olhada nas condições externa é claro, das Vans escolares. Fiquei assustado ao me deparar com uma triste realidade. Sem medo de errar 90% das Vans estão com os pneus ruins.

Pneus que rodam trinta mil quilômetros são itens baratos dividindo o valor do mesmo pela quilometragem que eles rodam e levando em consideração a extrema importância de eles estarem em bom estado.

Se não houver fiscalização por parte dos órgãos públicos competentes não haverá melhora. Como podemos contratar serviços de empresas que não conservam seu equipamento de trabalho, seu cartão de visitas? Como acreditar que uma pessoa zelará por meu bem mais precioso se nem zelar pelo bem dela ela consegue?

Então o que podemos fazer como pais é observar as condições das Vans por nós mesmos e cobrarmos dos seus donos respeito por nossos filhos e por nosso dinheiro. Não custa nada cobrar e não havendo resultados trocar de prestador de serviço.

:: Meu Flickr® ::

Posted in marcoalvim on 12/04/2013 by marcoalvim

http://www.flickr.com/photos/marcoalvim/

Algumas coisas do cotidiano e outras pessoais.

Acho importante reportar, tanto por meio de textos quanto por meio de fotos, então…

:: Who I am without you ::

Posted in marcoalvim on 12/04/2013 by marcoalvim

familia-caldas-novas

Who I am?

Posted in marcoalvim on 19/03/2013 by marcoalvim

Desde as 7:00 da manhã estou trabalhando e querendo ir embora… O que tem acontecido comigo?